Páginas

maio 21, 2013

Sobre a imposição às mulheres

Que nenhuma pessoa imponha como devo sentir, me comportar e ser.
Que recuse toda e qualquer submissão de caráter em direção ao proveito ou satisfação alheia.
Que recuse, reaja, rejeite e combata qualquer ameaça de moralidade, destinação de conduta real, espiritual, ou de qualquer ordem.
Que manifestações opressivas sobre a feminilidade, seus ciclos e a natureza feminina pra docilizar, obedecer, e amansar sejam destruídas.
Nenhum comportamento seja explícito, ou oculto, de se tentar domar uma natureza selvagem, lasciva, intuitiva, e exuberante, deve ser tolerado ou sequer considerado.

Tentativas de se tolher a natureza feminina selvagem foi há séculos, e ainda hoje violências, mas com a grande diferença atual da reação, natural à investida de domesticação e adequação às instituições do patriarcado, sejam leis instituídas, sejam de oralidade aceita e imposta. De amordaçar, de subjugar, minimizar, humilhar, desacreditar: serão rechaçadas.

Nenhum muro mais. Nenhum impedimento a ser o que se é. Nenhum controle que não seja superado por sua resistência e de contra-controle natural.

2 comentários:

  1. Que assim seja! "A verdadeira liberdade é poder tudo sobre si".
    Eschade.

    ResponderExcluir
  2. Ser tudo o que for capaz de se tornar...

    ResponderExcluir