Páginas

julho 05, 2013

Minha Querida Sputnik

 Uma criaturinha de 1,60 metros de altura, que se transforma naquilo que quer. Que tem dois metros de altura quando vai falar sério comigo, e eu fico quietinha, só pra escutar. Que me ensinou o que é escutatória, e a paciência que cada coisa tem pra ser o que é.

Tem o maior colo do mundo, onde ali é paz, esquecimento.
E uma risada que ilumina tudo, (eu faço qualquer coisa pra ver e ouvir isso!)

E que na verdade não precisa de mim por inteiro, e parece saber dessas coisas fundamentais, que eu só aprendi depois, com alguma luta. E esforço. A serenidade de não apressar, nem atropelar nada, sabida ela. E que me explica esse mesmo essencial que preciso ouvir, com uma calma assustadora, (e que as vezes me irrita, porque só aprendi com esforço, e nada, nada, vem nessa compreensão serena, pacífica).
E eu fico toda boba, ridícula de amor, de ver acontecer.
E também não sei  como concordar mais do que já concordo. Como ser melhor, e mais próxima de minhas discordâncias, é que me aproximo dela.
Se eu aprendo com ela, é da maneira mais delicada, simples, da simplicidade de todas as formas, e tamanhos, me transforma em alguém novo, em algo novo, insondável. Que nós entendemos e eu não saberia explicar.
Se alcanço o rastro, é de alguma beleza que não tem nome definido, e significados, vários.
E o que quero, é ficar perto dela, e mais nada.


Um comentário:

  1. Que lindeza ler isso...(quero te abraçar mais uma vez, te beijar mais uma vez, te por no colo mais uma vez,te olhar mais uma vez, te amar infinitas vezes em múltiplos...com tudo que ainda temos pra aprender,transformar, evoluir...Te amo!

    ResponderExcluir