Páginas

setembro 15, 2013

Poema profundo

Pra quem acha bonito o visceral: de mèrde.
E de agora em diante, só poemas uterinos. Ou vaginais.  


Um comentário:

  1. Risos. De certo não pediria poemas uterinos e vaginais, mas concordo com a criativa merda, que ao meu ver também inspira, ainda que feda. Massssss (não poderia deixar de ter o mais!) não lido bem com essa coisa visceral que pedem ao interpelar ideias poeticas. Deixemos as cacas aos pombos, pois!!!

    ResponderExcluir