Páginas

outubro 15, 2013

A poesia não é nenhum feito heróico.
Não se descobriu a cura de doença alguma.
Não se cobriu um fato histórico.
Nem tampouco se construiu pontes, ou viadutos,
não se mostrou serviço de utilidade pública, ou humanitária.

Entretanto, talvez tenha-se partido uma alma. Ou se documentou um sentimento.
Se transfigurou uma persona em personagem, expresso em vias de nascimento.,
como o parto de uma grande dor e alegria juntas.
 Tão real como você, é se expressar.
Capturar uma emoção, me liberta dela, ou me unifica à ela. Somos conjunto.
Não.  Apenas somos.
Um gosto, um cheiro, uma lembrança. Pegar no gosto como amálgama,
comer o impalpável.
Resolver-se ali, num formato que reúna uma parte minha,
pode-se restaurar a si mesmo.
Devolver o objeto perdido que era sua outra parte.
Parte de você, é o que se projeta na imaginação.
O que de concreto você fabrica, que brinquedo novo seria esse,
que se realiza; senão o traço de seu território íntimo. 
G.Colbert


2 comentários:

  1. Às vezes me dou um Ctrl + Alt + Del e reinicio pensares. Largo de mão os que me prendem às coisas que abomino até em mim e me aproximo do que aparenta trazer paz, calmaria. De revolto, já basta o mar. Minha vida quero livre, até de mim, como diria Sully.

    ResponderExcluir
  2. .Poesia é a subversão de um simbólico estagnado, limítrofe que nos enclausura. Poesia nos "encasula" de palavras que se transmutam e voam rumo a uma busca, a um resgate persistente daquilo que deixa-se de ser....

    ResponderExcluir