Páginas

novembro 18, 2013

Preferiria, não ?

 Quem enlouquece?  

A sociedade que enlouquece o indivíduo que enlouquece em massa. Hospício é uma prisão comum pra quem destoa da “normalidade”.
Denise Stoklos fez sua versão do conto Baterbly, de Herman Melville, que narra a história de um escriturário que nega o sistema, dizendo não a todas as imposições da sociedade e vai parar na cadeia (na versão de Stoklos ele termina no hospício). Também na versão de Denise Stoklos o conto ganha recortes para metáforas com situações da atualidade, com citações e reflexões sobre momentos em que hoje muitos prefeririam dizer não às situações que lhes são impostas.
E se a cada ordem de seu chefe você dissesse: “Eu preferiria não fazer”, e simplesmente ignorasse a determinação? Provavelmente seu emprego estaria por um fio, ou, no mínimo, seu superior se sentiria desafiado. É o que acontece em Bartleby, O Escriturário (1953). 

Stoklos também aproveita seu 27º espetáculo para fazer uma reflexão sobre a maturidade. Num momento marcante, em que chega aos 60 anos, a atriz, que anuncia sua idade logo na primeira fala do espetáculo, mostra as doenças de Parkinson e Alzheimer como algo para que ela diz um claro não.  Muito corajosa, além do talento já consagrado. 

Do Filte, 2011. 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário