Páginas

fevereiro 04, 2014

Ana

Todo mundo parece já ter escrito alguma coisa sobre ela, e lá vou eu fazer o mesmo. Vergonha de só tê-la descoberto agora, trinta anos depois de vida (ler um ou dois poemas antes, sem dar pelo nome, não é conhecer). Quero conhecer intimamente. Fui procurar um livro de poemas que foi prêmio do ano passado, "Um útero..", achei, e achei chatinho... Do lado tinha outro de cores vibrantes - do mesmo modo que a autora - Poética, reunião das obras completas, poemas, correspondências.. Não consegui largar. Agora entendo o número de pessoas que escrevem sobre ela nos blogs. Inúmeros blogs, teatros, ensaios, saudando, louvando, curtindo ela. Viveu curtamente nada, viveu intensa sim, e nada clichê. Vejo-a quando leio. E quando não leio, também, porque é tão bom...
Tenho agora como livro de cabeceira, e inspiração pra daqui adiante. Do lado de Clarice.
Escrevi no cantinho de uma página, ¨É meu. Sempre foi. Faltava descobrir. Descobri.¨

Ana Cristina Cesar
Ana C                                            
Ana

Nenhum comentário:

Postar um comentário