Páginas

março 11, 2014

Poda e Renovo

A planta só cresce quando atenciosamente cuidada, e às vezes podada. A poda, é retirar aquilo que já não cabe mais, que precisa ser retirado pra dar vigor e renovo à planta.

Do mesmo modo com as pessoas. Sinalizar quando algo não cabe, quando é desnecessário, ou impróprio deve ser feito. Se isso persistir,
e porque creio que vale a pena algumas vezes, porque nos importam, dizer com todas as letras. Mesmo que seja sinalizado, enfatizado, e por mais de uma pessoa. Se nada disso adiantar? Aguardar que o tempo, a paciência, e as situações, em seus ciclos, se repitam noutra condição, para que se torne a pensar o que não funciona mais. A psicologia e a vida, nos impõem e empurram essas mudanças. Porque não gostamos de algo que é nosso, não significa que não exista, e ainda; que  não seja percebido em volta. (Lutar contra é inútil - quanto mais se nega ou reprime, mais forte e distorcido voltará). Chama-se projeção quando atribuímos a outrem, características nossas. Como o que não gostássemos em nós, fosse visto pelo olhar do outro, então é do outro. Mas na verdade é nosso, e queremos inverter o espelho. É o Narciso invertido, que não gosta do que vê.
  É com delicadeza que se percebe`, e cuidado ao devolver isso ao outro, a quem pertence. A “poda” é benigna, e benéfica: permite que a planta cresça e se renove. Há que se deixar o antigo dar lugar ao novo; velhos hábitos saem, padrões de comportamento desgastados, repetições de posturas errôneas, (e até que se diga algo, o inverso pode retornar, numa forma, lugar, pessoa e tempo, diferentes - ainda o mesmo). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário