Páginas

junho 30, 2014

São João na roça, na cidade e no mato!

























Tudo que é bonito, que é gostoso pra os olhos, pra boca , pro coração. Tudo que alimenta os sentires, os pensares, livre e leve: AMAR - Associação das Mulheres Artesãs Riocontenses, Tamara no leito de um santuário (sim, clareira escondidinha numa trilha), Cachoeira do Fraga, Ponto de Cultura Ciranda de Bonecos Rio de Contas, caminho para a Cachoeira do Véu de Noiva, Livramento e Rio de Contas, Tami na entrada do Teatro em refoma de Rio de Contas, Museu Zofir Brasil, Do alto da Cachoeira Véu de Noiva - pico de 1750 metros de altura (esses números variam conforme a fonte, mas a cachoeira está num dos lugares mais altos do Brasil, próximo ao Pico das Almas, muuuito alto, você se sente uma alma mesmo.. fotos de baixo, e lá de cima ao lado dela), Entrada do Raposo, meu mini pão de abóbora, luz em Espaço Imaginário e legendas da expo fotográfica no local,  Igreja barroca em Rio de Contas, caminho do Raposo, Santuário natural, árvore também nasce em pedra!, Véu de Noiva nas duas seguintes, Mesa com frutas, frutos e gostosuras da época- Piatã, mastro de fitas tradicional de Beltane, aqui em uma deliciosa versão para a melhor idade, no São João de Piatã, Eta da Literatura no teatro de época, e boneca de pano em Abaíra.

Fotos que não tirei, mas guardo na memória as delícias de manteiga de garrafa, leite de vaca quentinho num frio de 11º, pão brevidade que conheci e farei! Requeijão feito lá, café de Piatã, cheiros e cores de uma feira de manhã cedinho, com muitos temperos(lembrei da frase que dizíamos no MST, "se o campo não planta, a cidade não janta", e é bem certo) um nhoque de abóbora que comecei e se transformou em pãezinhos distribuídos, geléia de amora ...O pequi! Típico da região de Rio de Contas, cidade rica de muitas belezas.
Quando passo nestas cidades quero levar mais que fotos de passagem, levo e deixo lembranças, conversas, um cafezinho, risadas, trocas...com as pessoas da região, pra assim dividirmos juntos, relação de aprendizado. Assim é.

2 comentários:

  1. Rio de Contas que não é só de "Contas ". É de verdade! No presente e na história. Cidade que surge no auge da exploração de diamantes na Chapada. De muitas riquezas em ouro, em natureza em picos exuberantes. De seu povo que fez e ainda faz viver, reluzir como um Patrimônio histórico Tombado e preservado. De uma cidade que parece ter saído de um imaginário dos ideais , dos sonhos. É o sentimento que fica, que reverbera que não sai...

    ResponderExcluir