Páginas

março 29, 2015

Mudança de tempo

Mudou o tempo    
o verde balança
as folhas caem na dança
A aurora descansa
O frio chega tímido
O sol deixa saudades
As roupas abandonam o armário
o abraço fica mais apertado
o chá não é mais gelado
a tv fica mais vistosa
a pipoca mais saborosa
outras vidas serão geradas
o Outono chegou
Já é tempo de amar.

-Mery Speck Thiesen


março 19, 2015

Alucinação Graffitis

Eu não estou interessado
Em nenhuma teoria
Em nenhuma fantasia
Nem no algo mais
Nem em tinta pro meu rosto
ou oba oba, ou melodia
Pra acompanhar meus bocejos
Sonhos matinais

Eu não estou interessado
Em nenhuma teoria
Nem essas coisas do oriente
Romances astrais
A minha alucinação
É suportar o dia a dia
E meu delírio
É a experiência com coisas reais

Um preto, um pobre
Uma estudante
Uma mulher sozinha
Blue jeans e motocicletas
Pessoas cinza normais
Garotas dentro da noite
Revólver: cheira cachorro
Os humilhados do parque
Com os seus jornais

Carneiros, mesa, trabalho
Meu corpo que cai do oitavo andar
E a solidão das pessoas
dessas capitais
A violência da noite
O movimento do tráfego
Um rapaz delicado e alegre
que canta e requebra
é demais!

Mas eu não estou interessado
Em nenhuma teoria
Em nenhuma fantasia
Nem no algo mais
Longe o profeta do terror
Que a laranja mecânica anuncia
Amar e mudar as coisas
Me interessa mais
Amar e mudar as coisas
Amar e mudar as coisas
Me interessa mais.

Alucinação - Belchior  

março 17, 2015

...Madalena


Maria,

...da Penha
... Madalena
...Mascarenhas
.. Miltons
...Lamas
... Simone
... Safo
...FEMEN
...Maria Lacerda de Moura
...Marias...


março 16, 2015

Março mês da Mulher.

 Recentemente foi dia da mulher. Não todo dia, como deveria ser, mas "o" dia para lembrá-la e receber as flores, antes e depois das agressões dos demais dias. E há poucos dias, foram as manifestações com cartazes misóginos à Dilma, procurando-os se encontram inúmeros, praticamente iguais no ódio e no ódio (mal) velado à brasileira, a chacota o escárnio.  

O que está por detrás do ódio à legitimidade de uma governante democraticamente eleita, é o machismo- sim, ele de novo, mola propulsora de outras diversas violências, misoginia, orgulho conservador ferido, recalques coletivos nos níveis cada vez mais intensos...  
O STJ deu vitória à Luciana Genro, e as declarações homofóbicas e misóginas de Levy Fidelix serão punidas com programas LGBTs, assistências, e multa histórica de um milhão de reais. No dia 9, Dilma sanciona a lei que trata o feminicídio como crime hediondo. Faz parte da política tolerância zero contra os maus tratos e violência à mulher brasileira -  mas a vitória tem gosto amargo; mulheres trans são excluídas da legislação. E a  homofobia ainda não é crime. Porques...
Não é só ódio sexista, racista, que gritam as pessoas nas ruas, em cartazes, em estádios de futebol, e em horário nobre político; é a manifestação reacionária aos valores de igualdade, respeito, e liberdade que o pensamento liberal e progressista trazem consigo, que enraivecem os conservadores de sempre.


A falta de pudor em expressar o ódio toma adeptos em milhares, e não são mais anônimos que o proclamam aos berros, é o seu vizinho/a, cunhado/a, amigo/a, parentes,... O cidadão "de bem".
O sujeito de bem, de mãos dadas com o militarismo, o conservadorismo, a religião xiita e xenófoba, e principalmente a vontade de poder já descrita por Adler, e por Nietzsche. Unidos contra a democracia. Demoniocracia Tupiniquim, vulgo Brasil.
Bom senso, moderação, tato, senso crítico se afastam à medida que se cresce o extremismo político, o ódio do cidadão de bem. O cidadão de bem grita, fere, empunha bandeiras, inflama seu ódio e estufa o peito para humilhar em nome da dita liberdade de expressão. Se usa dessa pretensa "liberdade" até para matar simbolicamente o outro, que não é Outro, sequer sujeito, ou indivíduo, e sim adversário e inimigo. Anular ou aniquilar sua presença, sua existência incômoda. 

A multidão que se vê nas ruas no mês da mulher, - como dia do índio, negro, que não sejam datas ''folclóricas'' e sim de debates atuais- é massa disforme e coesa somente em sua violência direta contra o diferente. Sendo o diferente tudo aquilo que desagrada a uma moralidade tosquiada que remonta o obscurantismo de outrora, à idade das trevas. 
Este cidadão de bem que veste a camisa do Brasil, orgulhoso de sua raiva, é bem parecido com o cidadão nazista que exigia a eugenia, a limpeza étnica, querendo eliminar tudo o que sujava a nação nazi-fascista.
Aqueles que tem críticas e argumentos contrárias ao governo petista, ou à própria governante, neste momento de agressões verbais e virtuais, pouco podem expressá-las, com o risco de cair em meio aos gritos e vociferações dos irracionais. E há tanto a dizer, os que esperavam um governo mais à esquerda se deparam com uma legenda PT mais ao gosto dos tucanos, com nomeações de cargos distantes da origem petista e agrados à bancada evangélica. Aliás "esquerda" e "direita" estão cada vez mais próximos, a tal ponto que ambos se misturam, se confundem, guerreiam e em seguida se dão as mãos em objetivos cada vez mais distantes da ética...
Interessante é que há jornalistas independentes fazendo cobertura ao vivo, e com resultado bem diferente da Globeleza; a mídia Ninja e Jornalistas Livres, além de muitos outros, artistas, pensadores, críticos, -em regimes totalitários, não são esses os primeiros a serem perseguidos, presos e exilados?- como Marcelo Rubens Paiva, Laerte, Eliane Brum, Sakamoto, nos dão um enredo bem diverso da mídia oficial.

Eu não tenho dúvidas de que vivemos um momento histórico atualmente (desde Feliciano e a CDH- ou pouco antes), em que forças conservadoras reagem cruelmente contra as liberdades humanas e individuais. E que não há mais espaço ou tempo pra indecisões a ficar em cima do muro, é preciso se informar das manipulações, simplificações grosseiras, e se posicionar no que se acredita. Se posicionar politicamente dentro e fora das mídias e redes sociais, dizer claro e direto o que se pensa, tomar partido não a uma sigla, mas participar das decisões do país. É pra ontem tirar esse capuz da timidez e assumir ser participante, questionador(a), ideologicamente ativo(a).

Infecção Br

O PT é só o bode expiatório da vez. Contra a corrupção sim, mas é sempre. Noutro momento, digo que sinto falta das manifestações de junho/julho de 2013, mas não me refiro à uma parte conservadora que direciona as manifestações de agora pra expulsar o PT e louvar...a quem? Aécio Neves envolvido até os cabelos no esquema do Lava-Jato. A direita se ressente até hoje por ter perdido, e ressequida de poder, manipula mídia e pessoas. Hipocrisia é que muitas são as pessoas que votaram no Aécio. Outras no PT, e agora... "fora PT" com selfies e cerveja na mão. A passeata Omo Progress seria risível se não fosse tão preocupante.
Dois dias antes, no dia 13, a avenida estava toda de vermelho...
Me pergunto porque não tiveram culhões na época pra votar em Luciana Genro. Em quem se expõe, e expõe o que pensa sobre homofobia, corrupção e demais hipocrisias...
Luciana, Jean Wyllys, e noutros tempos; Benedita da Silva, Heloísa Helena, Luíza Erundina... Essas pessoas não estão estampando escândalos de corrupção e por isso não são lembradas, ou faladas. Quem não se envolve nos 'esquemas' e politicagens, sem fazer política, sem perder seu idealismo não se encaixa, porque também não se sujeita. Nem sei que tipo de protesto fazer hoje em dia sem cair numa corrente conservadora, ultradireitista, e sempre contrária.Sem se misturar e se perder os propósitos.
Tá difícil não cair no banal ou em fúrias coletivas, massas sem crítica. Ah, Brazil...


leitura Menos ódio e mais Democracia Ilustra de Laerte