Páginas

maio 19, 2015

Caminhando


"Enquanto quase todos os homens sentem uma grande atração pela sociedade, são poucos os que tem uma inclinação forte pela Natureza. No que toca à sua reação perante à Natureza, a maior parte dos homens me parece inferior aos animais - Independentemente de sua arte ou habilidade. Não é frequente uma relação bonita entre homem e Natureza, tal como se dá com os animais. É impressionantemente pequena entre os homens a fruição da beleza de uma paisagem! É preciso que nos digam que os gregos chamavam o mundo de Beleza, ou Ordem ( kosmos- Koouos), e nem mesmo assim vemos com clareza motivo para isso: no melhor dos casos, consideramos um fato filológico.


De minha parte, sinto que levo um tipo de vida fronteiriça em relação ä Natureza: moro nos limites de um mundo no qual faço apenas incursões ocasionais, e efêmeras e sinto que meu patriotismo e minha lealdade em relação ao Estado em cujo território pareço residir, são tão  profundos quanto um bandoleiro. Se fosse para chegar a um tipo de vida que considero natural, seguiria com prazer até mesmo um fogo-fátuo através de lamaçais e charcos inimagináveis; mas até hoje não houve estrela ou vagalume que me mostrasse o caminho até lá. A Natureza é uma personalidade tão vasta e universal que nunca esgotamos um de seus fragmentos.''

Caminhando, pàg 140. - Henry David Thoreau.      

maio 17, 2015

Boudicca


Há muito que me interesso especialmente pelas mulheres guerreiras na História. Na cultura anglo-saxã as Valquírias, as amazonas Asgarda, muitos ícones Odinistas. Faço aqui uma breve homenagem àquela que considero pouco lembrada, e quando lembrada, ainda marginalizada pelo olhar patriarcal da época. Boudicca ou Boadicea , a vitoriosa, em gaélico. Ou rainha vermelha, certamente por ser ruiva. Por todas as descrições, me parece ser uma mulher independente, decidida, de opiniões consistentes, o que lhe intensificava o olhar. Gosto de pensar que foi uma justiceira entre as mulheres. Não aquela que queria se igualar aos homens, já que são diferentes, mas lutar como uma mulher luraria na época. Diferente de Joana D'arc por exemplo. 
Sua história parece tão misteriosa quanto lendária. Houveram migrações da tribo bretã até a costa da Grã-Bretanha, onde se instalaram, os celtas bretões, ali chamados de Icenos. Vejo que já existem livros, e até um filme...
"Boudicca era alta, terrível de olhar e abençoada com uma voz poderosa. Uma cascata de cabelos vermelhos alcançava seus joelhos; usava uma colar dourado composto de ornamentos, uma veste multicolorida e sobre esta um casaco grosso preso por um broche. Carregava uma lança comprida para assustar todos os que deitassem-lhes os olhos" ... (Dião Cássio in História Romana).

Noutra fonte, diz-se sobre como o olhar masculino contava a sua história;

"Os escritores da Antiguidade, que escreveram sobre ela, tinham como função contar aos romanos, através de suas narrativas, os grandes do Império. Eles faziam parte de uma sociedade que era desacostumada a ver uma mulher como governante, e muito menos como comandante de um exército. Dessa forma, Boudicca foi descrita por eles como uma mulher masculinizada, que tinha o tamanho, a voz e as armas de um homem, além da ineficácia de sua liderança" (Bélo, 2011, p. 46)

E  suas inerentes contradições; "As mulheres celtas, não eram somente semelhantes aos homens em estatura, mas equivalentes a eles, no que diz respeito à coragem, técnicas de guerra e o desejo de vingança". 





maio 14, 2015

Baraka


"Baraka é um documentário que parte de uma antiga palavra com significados em várias línguas. Pode ser traduzida como benção, sopro ou essência da vida, de onde se desencadeia o processo da evolução do mundo. O filme revela o quanto a humanidade está interligada, apesar das diferenças de religião, cultura e língua dos povos.

Um verdadeiro poema visual sem narração ou legenda, somente imagens e sons cuidadosamente capturados e articulados através de uma montagem expressiva, o que faz com que cada tomada adicione à próxima outro significado, cujo tema é... Afinal, do se trata Baraka? Acredito que cada espectador do filme veja um tema diferente. Ele pode ser sobre a força do planeta Terra. Pode ser sobre as múltiplas diversidades que nos unem. Ou muitas outras coisas.

Baraka é uma reprodução visual da ligação humana com a Terra."