Páginas

maio 19, 2015

Caminhando


"Enquanto quase todos os homens sentem uma grande atração pela sociedade, são poucos os que tem uma inclinação forte pela Natureza. No que toca à sua reação perante à Natureza, a maior parte dos homens me parece inferior aos animais - Independentemente de sua arte ou habilidade. Não é frequente uma relação bonita entre homem e Natureza, tal como se dá com os animais. É impressionantemente pequena entre os homens a fruição da beleza de uma paisagem! É preciso que nos digam que os gregos chamavam o mundo de Beleza, ou Ordem ( kosmos- Koouos), e nem mesmo assim vemos com clareza motivo para isso: no melhor dos casos, consideramos um fato filológico.


De minha parte, sinto que levo um tipo de vida fronteiriça em relação ä Natureza: moro nos limites de um mundo no qual faço apenas incursões ocasionais, e efêmeras e sinto que meu patriotismo e minha lealdade em relação ao Estado em cujo território pareço residir, são tão  profundos quanto um bandoleiro. Se fosse para chegar a um tipo de vida que considero natural, seguiria com prazer até mesmo um fogo-fátuo através de lamaçais e charcos inimagináveis; mas até hoje não houve estrela ou vagalume que me mostrasse o caminho até lá. A Natureza é uma personalidade tão vasta e universal que nunca esgotamos um de seus fragmentos.''

Caminhando, pàg 140. - Henry David Thoreau.      

Um comentário:

  1. Ainda estou devendo a leitura de Thoreau!! Imperdoável. Obrigado pela lembrança, Sol!
    ei, que belo blog...

    ResponderExcluir