Páginas

julho 01, 2015

,que não seja blue.

Cada qual com seu objeto-desejo
em veementes balõezinhos,
todo o tempo estava parada,
e o formigamento da nuca sumiu,
a nódoa estrelada sumiu,
As linhas tracejadas, destinadas,
que se lêem as ciganas nas mãos também somem,
voluntariosas.
Fiquei acesa por dentro, tomando nota ensurdecida do silêncio, esperando um beijo que não seja blue.
Soraia M. Neves

Nenhum comentário:

Postar um comentário