Páginas

agosto 15, 2015

Tirésias




Ouço e parece que há um saudosismo nela, uma saudade grande, ou algo que não foi preenchido,
e sente, se deseja, se anseia por..
Música_ Beethoven 7ª sinfonia, II movimento

''O Mito de Tiresias;
Os gregos vem à nossa frente, séculos antes quando nos conta sobre o profeta Tirésias de Thebas, que havia atrapalhado o ato sexual de duas cobras místicas, matando a cobra fêmea; ao fazer isso, foi transformado imediatamente em uma mulher,e assim vivei por sete anos - até que em um outro incidente semelhante - matou uma cobra macho - e voltou a ser homem.

Conta-se então, pediram à Tirésias que respondesse à pergunta que inquietava os corações de todos - Tirésias que havia sido homem e Mulher na mesma vida, era o único que podia responder quem mais realmente tinha  mais prazer. E Tirésias respondeu assim: " se dividirmos o prazer em dez partes, a mulher fica com nove, e o homem com uma".

Shere Hite, uma pesquisadora da sexualidade feminina, analisou depoimentos de treze mil mulheres norte-americanas, e observou que os relatos de dificuldades na obtenção de satisfação sexual por parte dessas mulheres americanas, decorria aos mecanismos de repressão social e cultural do que a fatores fisiológicos (a autora aliás conclamava às mulheres a se rebelarem e conquistarem o direito de usufruir do magnífico potencial do próprio corpo).

Uma vez que o mito de Tirésias sugeria ser a mulher capaz de usufruir do sexo, e Hite ( e outros) constataram que no cotidiano, era o homem o mais satisfeito, a resposta mais óbvia a que Hite chegou é que a mulher era um vulcão arrolhado pelas sociedades machistas, pelos preconceitos culturais e religiosos que a impediam de vivenciar tudo o que seu corpo poderia lhe proporcionar.
Na verdade, embora Hite estivesse certa quanto à repressão feminina, os homens também sofreram uma espécie de repressão de suas possibilidades de satisfação: a maior parte dos homens encara o sexo como uma disparada em linha reta, cega e obsessiva, nem muito curta nem muito longa,  rumo à um destino final.

Não há grandes preocupações com sutilezas da estrada.
Não há como dizer a proporção de influência biológica ou cultural que há neste comportamento, provavelmente um pouco de cada. E ao contrário das mulheres, os homens não discutem detalhes de suas vidas sexuais entre si, exceto para expressar de modo grosseiro suas vitórias. Nenhum homem costuma perguntar ao outro o que ele sentiu com a fulana, no máx um "e aí pegou ou não?" Penetrar ou penetrar resume tudo.

Desde a década de 70, quando Hite lançou seu relatório original, as mulheres, (com maior ênfase nas classes abastadas infelizmente), descobriram e consolidaram o direito de desfrutar melhor de seus próprios corpos.
Mas mulheres que tenham tido a chance de conhecer homens de gerações diferentes, devem ter percebido que os homens também não são mais os mesmos. Ainda que o biológico, provavelmente aquilo que o Tiresias se referia) continue impondo os mesmos instintos, e talvez realmente as mulheres possuam  um corpo mais afortunado para desfrutar as sensações relações amorosas, o acesso à informação sobre nós mesmos e sobre as mulheres, parece ter provocado mudanças de nosso comportamento masculino que nos abre algumas portas para diminuir as proporções de Tirésias.

Trabalhos como o de Hite e suas congêneres, que lutaram para libertar o corpo feminino, ironicamente também produzem algum efeito benéfico nos homens. Ainda que não conversemos com o detalhismo feminino sobre as particularidades de uma noite anterior, nós também já arriscamos algumas "dicas" que anos atrás seriam consideradas ofensivas (como se questionassem a masculinidade). E é possível aos poucos observar homens escrevendo sobre a experiência de desfrutar de um encontro amoroso em extensão e variedade muito maiores do que a fórmula tradicional (tradicional no mundo ocidental - ironicamente, os hindus e árabes da antiguidade já haviam atingido este nível quando o peso da religião e da influência ocidental os fez regredir).

Não há dúvida que esse paradigma é benéfico para ambos, mulheres e homens, e é de se perguntar (porque a lenda não diz ), se Tirésias encarou sua transformação em homem novamente, como uma transformação ou como um castigo..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário