Páginas

novembro 05, 2015

A Grande Mãe

"A problemática do Feminino tem exatamente o mesmo significado para os psicólogos da cultura, que reconhecem que a ameaça à humanidade atual assenta-se, em grande medida, no desenvolvimento patriarcal unilateral da mentalidade masculina, que não é mais compensado pelo mundo 'matriarcal' da psique. É nesse sentido que a apresentação de um mundo psíquico-arquetípico do Grande Feminino, que tentamos com o nosso trabalho, é também uma contribuição para o estabeleciemento de uma futura terapia da cultura. (...)

O modelo ideal de Psicologia Profunda do futuro é o desenvolvimento do indivíduo até que ele atinja sua totalidade psíquica, na qual o seu consciente esteja criativamente unido ao conteúdo inconsciente. Somente essa integração total do indivíduo pode tornar possível uma qualidade de vida melhor pra sociedade. Se, num determinado sentido, o corpo são é a base de um espírito e de uma psique sadios, mais ainda um indivíduo sadio serve de a uma sociedade igualmente saudável. (..) A assimilação do universo arquetípico leva a uma forma interior de humanização que, por não ser um conhecimento da consciência mas sim uma vivência do ser humano total, mostra-se-á ainda mais confiável do que a forma de humanismo que conhecemos, desprovida de bases psicológicas profundas. Parece-me que um dos sintomas decisivos dessa nova humanização é o desenvolvimento, no indivíduo e na comunidade, de uma consciência psicológica sem a qual é impensável uma futura evolução da humanidade ameaçada."

A Grande Mãe - um estudo Fenomenológico da Constituição Feminina do 
Inconsciente, Erich Neumann, Cultrix.
                                                                                                                            

Nenhum comentário:

Postar um comentário