Páginas

julho 16, 2016

Destinatino

E há outra coisa. Há uma escolha feita feita há muito tempo.
Algo que não se muda. Nem com a passagem do tempo, nem com as feições envelhecidas e leves.
Não há dificuldade. Sempre é, e pra sempre esteve ali. Tenho essa escolha. Ela foi feita. Escolhida, dentre outras. E não me vejo repercutindo. Outros lugares e estados, mas é. 
Sempre confiei mais em minha intuição, que em meu verbo dialógico. Mas não se perca de mim poesia...!
Falas minhas, e noutros discursos, brevidade escapatória...
Tu me escutas, só tu, o meu verbo que ecoa e ressona no horizonte de meu além ser...

Sempre é chamado. Às vezes atendido. 






(Amanhã falo do Temerário. Amanhã falo do machismo que me insulta e condeno. Amanhã falo dos anjos e impérios, do inconstante e do perpétuo, do que for terreno, seja lá o que for, do eterno e sagrardo, se isso tb for..)

Nenhum comentário:

Postar um comentário